• Opusflex

Como adequar o seu escritório, para o "novo normal"

O coronavírus é uma tragédia humana que afeta a vida de bilhões de pessoas. A pandemia não afeta somente aspectos das interações sociais, com a implementação de medidas sanitárias como o distanciamento social e a comunicação digital, mas altera fundamentalmente a maneira como trabalhamos. Com o progressivo afrouxamento das medidas de isolamento social propostas pelos governos ao redor do mundo, instituições e empresas precisam se preparar para o retorno, dentro do novo "modus laborandi". Todas as empresas tem a responsabilidade de tomarem medidas de precaução dentro do ambiente de trabalho, no intuito de parar ou ao menos dificultar a propagação da Covid-19, e até o presente momento, o distanciamento físico mostra-se como a medida mais efetiva.


Aplicando o conhecimento adquirido em projetos de escritório ao longo dos anos, preparamos este guia, para ajudar empresas, instituições e profissionais, neste retorno aos escritórios, com soluções de projetos de layout planejados de acordo com novas diretrizes internacionais de concepção de espaços de trabalho.


O trabalho está separado em 5 grandes medidas, classificadas conforme a linha do tempo de implementação:


Urgentes - Temporárias - Média prazo - logo prazo - mudanças estruturais


01 - Aumento das práticas de higiene e maior preocupação com a saúde dos funcionários.


02 - Aumento da prevalência do trabalho remoto


03 - Alterações na maneira como nos encontramos


04 - Novas regras de "compartilhamento" do espaço de trabalho e adequação do layout de escritório.


05 - Reengenharia dos locais de trabalho, de acordo com as novas necessidades.



Aumento das práticas de higiene e manutenção, maior preocupação com a saúde dos funcionários.

Seguro para trabalhar, seja em ambiente privado, público ou em trânsito.

Assim como fomos "infectados" com diversas medidas de segurança em aeroportos, após os atentados de 11/09, com adoção de novos procedimentos de segurança, medidas de "desinfecção" serão adotadas a partir de agora. Em muitos lugares, procedimentos de checagem de temperatura e uso de máscaras, irão se tornar o padrão. Superfícies, mãos e banheiros, serão limpos diariamente. Costumes como, apertar as mãos, abraços e beijos no rosto, serão considerados por um bom tempo, como inapropriados.


Ir ao trabalho doente, será considerado inaceitável, e os dias de afastamento por doença aumentarão. Como solução, as empresas devem aumentar as possibilidades de trabalho remoto, para aqueles que mesmo doentes (para os casos mais leves), possam exercer suas atividades remotamente. É muito importante, que ocorra uma mudança cultural dentro das empresas, para deixar de enxergar aquele que vem trabalhar (mesmo estando doente), como um herói e sim como o vilão, que coloca em risco os demais colegas de trabalho. Os médicos das empresas, passarão a ter um peso maior nas decisões empresariais, deixando de ser um "entrave burocrático" que "afasta os empregados desnecessariamente", para se tornarem verdadeiros parceiros dos executivos das companhias, nas tomadas de decisão estratégicas e na adoção de novos procedimentos, bem como participarão na elaboração do projeto do mobiliário do escritório, juntamente com arquitetos e decoradores.


"O implemento de novos procedimentos de saúde, tem um impacto direto nos ambientes de trabalho"

Sistemas automáticos de abertura de portas, e elevadores que respondem por comandos de voz, sem a necessidade de tocar nos botões, podem ser instalados. Áreas de café, ou refeições, precisarão ser modificadas. Até mesmo recipientes com sal, açúcar, temperos, etc... antes compartilhados diretamente na mesa do restaurante, precisarão ser substituídos, por exemplo, por saches individuais.


Revestimentos de cadeiras em tecido, perderão atratividade em detrimento de materiais como couro natural, couro sintético, vinil e plásticos. Madeiras podem continuar sendo consideradas como uma boa opção (para criar uma sensação de calor, acolhimento e conforto ao toque), mas devem ser selecionadas de acordo com a sua facilidade de limpeza e higiene.


Para as pessoas consideradas do grupo de risco, as empresas precisarão providenciar espaços de trabalho diferenciados, como mesas fechadas com biombos, andares separados ou salas específicas para este grupo.


Regras com relação à saúde, serão alteradas para o uso de espaços públicos e transporte.


O aumento das medidas de saúde, irão influenciar não somente a maneira como trabalhamos juntos, mas também a maneira como compartilhamos os espaços públicos. Áreas de espera em aeroportos, estações de trem, portos, transporte público e seus complexos, precisarão receber regulamentação específica sobre distância segura entre as pessoas. Nestes locais, marcas no piso e painéis, são soluções temporárias simples. Em um segundo momento, medidas mais rígidas de higiene irão se tornar mandatórias em áreas públicas. Assentos e áreas de espera, deverão ser limpos diversas vezes ao dia.


Considerações sobre o projetos de escritório "salvos do corona"

Ainda existem muitos aspectos sobre a Covid-19, que desconhecemos. No entanto, o retorno ao escritório traz à tona algumas medidas que precisam ser tomadas em relação aos espaços de trabalho e o mobiliário, no intuito de proteger os colaboradores e prevenir o espalhamento do vírus.

Nas próximas partes, vamos descrever as primeiras medidas de mais fácil implementação, que podem ser aplicadas no escritório já existente, no intuito de criar um ambiente "salvo do corona".


Adaptação das áreas de transito interno, no intuito de manter uma distância suficiente entre os colaboradores.


Redução da ocupação dos escritórios, com os colaboradores que podem executar suas atividades remotamente, sendo direcionados para exercerem suas atividades em casa.


Para atividades que não podem ser realizadas remotamente, nem individualmente, criar times fixos (com o menor número de integrantes possível), não intercambiáveis entre outros grupos.


Implementação de uma distância mínima entre as pessoas no local de trabalho, de ao menos 2 metros. Implementação de marcas ao projeto do escritório, determinando os locais adequados das cadeiras, rearranjo de acordo com a minimização das taxas de ocupação.


Onde possível, divisões e painéis divisórios, podem ser usados para proteção individual dos colaboradores.



Como é um layout típico de um escritório contemporâneo, com a disposição dos móveis antes da pandemia da Covid-19
Layout tradicional de escritório antes da Covid


Exemplo de projeto de escritório, com adaptações sanitárias pós-covid
Layout de escritório Pós-Covid

A - Aumento do espaço entre as estações de trabalho

B - Redução do número de cadeiras, pra redução da taxa de ocupação.

C - Aplicação de divisórias entre as estações de trabalho

D - Utilização de biombos móveis, para separar os espaços

E - Adoção de posições alternadas nas mesas

F - Aumentar a distância entre as mesas e adotar biombos de fechamento frontal e lateral

G - Redução do número de lugares nas mesas plataforma, e implantação de abafadores frontais e laterais


Superfícies fáceis de limpar


Padrões de higienização e desinfecção regular de superfícies devem ser implementadas. Logo, os materiais e revestimentos estarão mais sujeitos à desgaste.

Com isso, a adoção de materiais mais resistentes são recomendados. Abaixo, explicamos um pouco mais sobre os mais recomendados ao mobiliário de escritório.


01 - Laminado melamínico de alta pressão: Composto por camadas de "papel", impregnados com resina fenólica e melamínica, revestidos com uma camada de proteção aplicada a alta pressão e temperatura. O resultado é uma superfície fácil de limpar, inodora, resistente à luz, álcool, solventes orgânicos e água.


02 - Madeiras "fantasia": Produzidas através do mesmo processo do laminado melamínico de alta pressão, com a diferença de que recebem impressão com tinta robusta e durável com desenho dos veios de madeiras naturais. Elas possuem uma ampla variedade de cores e padrões, alem de serem fáceis de limpar e mais baratas do que a madeira natural, com aplicação de verniz.


03 - MDF, ou fibras de média densidade: São produzidas de madeiras reconstituídas de árvores coníferas (no Brasil as mais utilizadas são o Pinus e Eucalipto), que são processados em pequenas fibras e prensados na forma de placas com o uso de algum agregador (resina). Menos resistente que os materiais anteriores, podem receber pintura e são mais indicados para situações complexas de junção ou borda irregular, onde não é possível a aplicação de fitas retas.


A proteção das partes metálicas, bem como a sua limpeza, está associada ao revestimento da sua superfície, que podem receber pintura (epóxi ou líquida), cromação, polimento ou galvanização. É importante consultar o manual do fabricante, com relação aos produtos indicados para sua limpeza e desinfecção. Se possível, de preferência à pintura por processo epóxi-pó, que são menos suscetíveis à ação de produtos desinfectantes.



Alguns exemplos de projetos para locais de trabalho seguros



Mesas de escritório modelo plataforma, com instalação de painéis do tipo abafador na parte da frente e nas laterais (entre usuários), para melhor proteção contra a Covid. Distanciamento lateral entre as mesas.
Mesa plataforma com abafadores frontais e laterais

Mesas do tipo estação de trabalho em formato U, com instalação de divisórias do tipo biombo com vidro na parte superior
Estação de trabalho com biombos 1/2 cego 1/2 vidro



O trabalho remoto, se tornará mais prevalente


O surgimento de um novo balanço entre trabalho e lazer

Muitas empresas se viram obrigadas de uma hora para outra, a colocar os seus colaboradores em trabalho remoto por um longo período. Este "experimento" involuntário, demonstrou que com a tecnologia que já possuímos no momento, o trabalho remoto pode ser muito produtivo, mesmo para atividades que precisam de equipes que se relacionam. Como resultado deste "experimento", muitas empresas estão percebendo que o trabalho remoto por períodos mais prolongados é bem aceitável, em especial para as empresas que competem na "guerra de talentos".

Os "talentos", podem vir a fazer escolhas mais conscientes no futuro, atribuindo maior peso aos seus anseios profissionais, não pesando tanto na decisão, questões como o tempo despendido nos seus deslocamentos diários. Alem disso, a possibilidade de morar em locais com custo de vida menor e com mais qualidade de vida, podem ajudar na atração destes talentos. Sem a barreira da distância, as empresas podem contratar profissionais (em tese) que qualquer local do globo. Porem, com o trabalho remoto, empresas precisarão adaptar seus sistemas de gestão, deixando de medir de acordo com a presença física do colaborador, adotando metodologias baseadas em tarefas cumpridas. Com isso, profissionais ineficientes ou pouco produtivos terão dificuldade de se "esconder". Se antes, a simples presença física no escritório, era uma demonstração de comprometimento, agora os profissionais precisarão demonstrar através de resultados. O trabalho de casa, pode resultar na criação de uma cultura empresarial mais voltada para medição de performance, com sistemas de medição e avaliação mais transparentes.


O trabalho remoto, tem impacto direto no mobiliário tanto do escritório, como da casa.

Com uma grande força de trabalho podendo optar pelo trabalho remoto na maior parte da semana, haverá uma redução na densidade dos escritórios, permitindo a maior distância física, entre os colaboradores.


Trabalhar de casa, exigirá a criação de espaços dedicados para o trabalho. Tal condição é necessária para estabelecer o clima adequado nas horas de trabalho sem interrupção e distrações da vida pessoal. Áreas dedicadas ao trabalho, serão necessárias às atividades que exigem confidencialidade, ao mesmo tempo que permitem o "detox digital", ajudando no balanço entre vida pessoal e profissional. Os colaboradores precisarão realizar investimentos para providenciar o mobiliário adequado, e em casos extremos, espaço extra, para adequar o ambiente. Vale ressaltar, que alguns países desenvolvidos, já estão estabelecendo leis que regulamentam a infra estrutura necessária destes espaços. O trabalho remoto, necessita de investimento em mesas e cadeiras ergonômicas (ajustáveis iguais as do escritório), iluminação adequada (que é diferente da residencial), rede, internet, sistemas de cancelamento de ruídos, alem de equipamentos de informática e software. Muitas companhias, em especial as gigantes da tecnologia, arcam com todas as despesas necessárias referentes aos equipamentos e mobiliário dos seus empregados.



Mesas em L e retas, combinadas para utilização em home office
Home Office

Mesa para home office em formato L, com gaveteiro
Mesa home office em L

Cadeira de escritório, encosto em tela, que combina com o estilo industrial, adequado para home office
Cadeira de escritório encosto em tela

Estamos aqui para te ajudar!


Você precisa de ajuda, para conduzir o retorno de sucesso ao seu escritório físico?
Seu time, precisa de ajuda para criar um caminho seguro, com soluções sob-medida de mobiliário para escritório no "novo normal"?

Entre em contato conosco:

www.opusflex.com.br

atendimento@opusflex.com.br

(15) 3042-0220

156 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo