• Opusflex

Projetando escritórios centrados no ser humano

A cada dia em que a digitalização aumenta, comunicar e colaborar se mostram os próximos desafios do mundo do trabalho. Esta tendência implica na mudança de quase todos os aspectos do ambiente de trabalho. Entender tais mudanças, é a chave para promover as alterações necessárias de maneira rápida e econômica. Neste novo cenário, o perfeito balanço entre comunicação e trabalho concentrado, pode otimizar a capacidade da empresa em gerar valor com o trabalho agregado de seus colaboradores, atingindo a máxima produtividade.


Cabe aos profissionais que pensam e projetam ambientes de trabalho, focar no ser humano e compreender a dinâmica do trabalho da empresa. E com isso, criar uma gama de espaços funcionais, ambientados de acordo com a sua função, sem perder de vista o usuário. Ao projetar produtos e ambientes com essa premissa, conseguimos atender demandas que vão desde espaços para palestras, até áreas para trabalhos focados. Vamos ilustrar algumas situações em como um projeto de escritório, bem resolvido pode fazer toda a diferença.




Horas de trabalho concentradas, exigem móveis e cores que transmitam paz e tranquilidade, ao mesmo tempo que forcem "pequenas" atividades físicas, como por exemplo leves mudanças de posição na cadeira. Incentivar pequenos movimentos (seja para acessar algum material na mesa, seja mudando a maneira como nos apoiamos), é importante para combater o sedentarismo natural das atividades que exigem grande concentração. Sabemos que nossos corpos precisam de uma variedade diversificada de pequenos e frequentes movimentos, para manter suas articulações e músculos saudáveis. Até mesmo os nossos cérebros "desligam" se não forem estimulados pelos movimentos (mesmo que pequenos) dos nossos corpos.

Cadeiras com ajustes que proporcionem mudanças de posição durante o dia, bem como a escolha correta dos revestimentos, são essenciais em atividades que requerem muitas horas seguidas de concentração.




Já no caso de equipes que atuam em projetos específicos, onde, ao mesmo tempo que precisam interagir entre si, também utilizam computadores. Espaços de trabalho versáteis, são uma boa pedida. Mesas do tipo plataforma, divididas com biombos baixos, proporcionam um certo nível de privacidade, sem impedir a comunicação, ao mesmo tempo que absorvem parte dos ruídos. Além disso, para os casos de equipes em projetos temporários ou que podem variar de tamanho, vale a pena considerar o uso de mesas modulares, que podem ser agrupadas, divididas, majoradas ou reduzidas, sem grandes dificuldades, ou novos investimentos.




Para os ambientes executivos da empresa, onde os profissionais, ao mesmo tempo que precisam de privacidade, tem que se manter presentes para toda equipe, divisórias piso-teto em vidro, proporcionam boa privacidade sonora, ao mesmo tempo que não "escondem" os executivos dentro de salas fechadas. Assim é possível que os dirigentes da empresa, demonstrem aos colaboradores, que apesar de ocuparem um espaço privativo, estarão disponíveis quando necessário.





Neste ambiente, uma mesa ampla e se possível com uma "mini mesa de reunião" integrada são sempre bem vindas, visto que esses profissionais conversam com um grande número de pessoas ao longo do dia.


Estes são alguns exemplos de como pensar os ambientes de trabalho individualmente de acordo com o uso, sem deixar o aspecto humano de lado. É claro que estes são apenas exemplos para ilustrar o conceito, e que cada empresa e colaborador, tem suas necessidades específicas. Porem, se você deseja extrair todo o potencial de trabalho da sua equipe, com qualidade e conforto, procure uma empresa que além de comercializar os móveis, te auxilia nos diversos aspectos envolvidos na escolha do mobiliário.

93 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo