top of page

Ser (ESG) ou não ser? Eis a questão? (ou não)

Ultimamente tem se falado muito em “práticas ESG”, o que tem saturado bastante o assunto, eu mesmo, quando escuto as siglas “E.S.G.”, já penso na sigla “H.A.R.G.! ” ...de novo esse assunto.



Imagem gerada por inteligência artificial, ilustrando uma empresa preocupada com as práticas ESG
ESG nas empresas


Mas brincadeiras à parte, acredito que fica mais fácil, encararmos o ESG não como algo novo, mas sim uma forma de organizar (usando “letrinhas” ou não), o conjunto de boas práticas, que talvez a sua empresa já adote.


Com esse espírito, “coloquei de lado” minha resistência às “siglas da moda”, e olhando para dentro da nossa indústria (de mobiliário corporativo), busquei o que já é praticado e o que ainda é necessário implantar.


Implementar práticas de ESG (Environmental, Social, and Governance) em uma indústria de móveis envolve uma abordagem integrada que abrange sustentabilidade ambiental, responsabilidade social e governança corporativa.


Ilustração de uma painel com indicadores ESG dentro do escritório
ESG no escritório

1. No quesito ambiental (Environmental)


  • Uso de Materiais Sustentáveis: Utilizar madeira de reflorestamento, materiais reciclados ou certificados por organizações como o FSC (Forest Stewardship Council).

  • Eficiência Energética: Investir em tecnologias que reduzem o consumo de energia, inclusive auxiliando nossos clientes, na busca pela certificação LEED das suas instalações, nas áreas que atuamos.

  • Gestão de Resíduos: Adotar programas de reciclagem e reutilização de resíduos, tanto na produção, (como no reuso de solventes utilizados em processos de pintura e verniz), bem como no descarte adequado de sobras de madeiras, que retornam para os fornecedores. Também atuar dentro dos escritórios, através da redução de uso do papel, via sistemas eletrônicos de integração entre departamentos e produção. Que além de reduzir a geração de resíduos, favorecem a produtividade e a eficiência, através de uma gestão inteligente da documentação interna, minimizando os erros de comunicação entre engenharia, vendas, planejamento e produção.

  • Redução de Emissões: Adotar práticas que minimizam as emissões de gases de efeito estufa, como o uso de transporte otimizado, com rotas inteligentes de entrega e a otimização de processos produtivos, eliminando da nossa manufatura, movimentações desnecessárias, dentro e fora da fábrica.

  • Design para a Sustentabilidade: Projetar produtos duráveis, reparáveis e recicláveis. Nossos produtos são projetados buscando sempre a intercambiabilidade, permitindo que um mesmo componente, seja utilizado em diversas opções de layout, permitindo que a disposição das mesas, armários e biombos, possam ser alteradas, com aproveitamento dos mesmos componentes. Com isso respeitamos o investimento do cliente e preservamos os recursos naturais. E por falar em respeito ao investimento dos nossos clientes, fabricamos produtos duráveis, projetados e testados para serem utilizados por toda a vida. Acreditamos e defendemos o direito ao reparo, mantendo componentes de reposição, bem como buscamos a utilização de itens padronizados, como fixadores, ferragens e acessórios disponíveis no mercado. Com isso reduzindo o impacto ambiental ao longo do ciclo de vida do produto.


2. Social


  • Condições de Trabalho: Garantir um ambiente de trabalho seguro e saudável. Acreditamos que ergonomia não pode ser um conceito apenas “da porta para fora”, assim sendo, monitoramos as condições de trabalho, (tanto no ambiente de escritório, quanto no ambiente produtivo), com um olhar especial para a ergonomia e a segurança do trabalho, utilizando da expertise adquirida ao longo de anos, junto aos nossos clientes.

  • Diversidade e Inclusão: Promover a diversidade e a inclusão no local de trabalho, assegurando oportunidades iguais para todos os colaboradores. Contamos com um parque fabril de ponta, e investimos continuamente em novas tecnologias, tanto na gestão (com uso de softwares de projeto e planejamento), quanto na produção, (com uso de maquinas controladas por computador). E como máquinas e computadores não fazem nada sozinhas, o investimento no capital humano é essencial no sucesso do nosso negócio, o que gera constantes oportunidades dentro da companhia. Na qual priorizamos a mão de obra local, em especial aquela que já se encontra dentro da empresa.

  • Desenvolvimento Comunitário: Engajar-se com as comunidades locais. Entendemos que parte do sucesso de uma empresa, vem da simbiose entre a companhia e o local onde ela se insere, seja (diretamente) através do desenvolvimento do capital humano local, seja indiretamente, pela simples valor da “boa vizinhança”, e seus benefícios ao longo do tempo, em pró da perenidade do negócio e da comunidade.

  • Desenvolvimento de Talentos: Investir na formação e no desenvolvimento dos colaboradores, oferecendo programas de capacitação e oportunidades de crescimento profissional, cruciais para implantação de novas tecnologias, que trazem produtividade, sem deixar as pessoas para trás. Acreditamos que máquinas modernas, precisam de humanos capacitados.

  • Transparência e Comunicação: Manter uma comunicação clara e transparente com os colaboradores e outras partes interessadas sobre as políticas e práticas da empresa. Desde a clareza nas informações da proposta comercial (que vai para o cliente), até a comunicação do que precisa ser feito (internamente), bem como, em como deve ser feito, respeitando nossos valores como empresa. Mantemos nossos clientes informados de todo o processo, e os escutamos ativamente, proporcionando um ambiente de confiança mútua.


3. Governança (Governance)


  • Código de Ética e Conduta: Estabelecer e implementar um código de ética e conduta que guie as ações de todos os colaboradores e gestores. Buscamos sempre estabelecer relações comerciais equilibradas com nossos clientes e fornecedores, no intuito de mantermos parcerias saudáveis e duradouras, em um ambiente de negócios saudável para todos os envolvidos.

  • Transparência: Manter uma governança transparente, com indicadores chave, de qualidade, gestão, com todos cientes do desempenho da empresa, independente do cargo ou departamento de atuação do colaborador.

  • Compliance e Conformidade: Assegurar que a empresa cumpre todas as leis e regulamentos aplicáveis, incluindo aqueles relacionados a direitos trabalhistas, ambientais, de qualidade e conformidade do produto, sejam eles de adesão obrigatória ou opcional, como as normas ABNT relacionadas aos requisitos de qualidade e desempenho de nossos produtos.

  • Stakeholder Engagement: Envolver os stakeholders (acionistas, clientes, fornecedores e comunidade) no processo de tomada de decisão, considerando suas opiniões e preocupações, sempre buscando um diálogo aberto, para que através do senso de comunidade e empatia, possamos buscar caminhos equilibrados e sustentáveis à longo prazo.


Eu sei que esse texto pode parecer “chato”, e soar como propaganda, mas o exercício de olhar para dentro da nossa empresa, nos ajudou a entender que nem só de “greenwashing” vivem essas “siglas da moda”, e talvez, a sua empresa (independente do tamanho e da capacidade de fazer propaganda na grande mídia), já pratique o ESG sem saber. Até porque, adotar práticas ESG não só contribui para a sustentabilidade ambiental e responsabilidade social, mas também pode melhorar a reputação da empresa, aumentando a satisfação dos colaboradores e clientes, além de, potencialmente, gerar benefícios financeiros a longo prazo.


Mas afinal, o que tudo isso tem a ver com você, na posição de cliente?


Bom, se você chegou até esse texto, e o leu até aqui, significa que se preocupa com ESG na sua empresa, ou, está procurando móveis para escritório, ou ainda (o que é até melhor) está em busca de ambos.


Então, se além de precisar adquirir móveis para o escritório, você busca estabelecer parcerias com empresas que também se preocupam com ESG, pois entente que cada empresa é um “elo”, e que no caso de falha, prejudicará a reputação da sua empresa também, entre em contato com a gente.

Comments


bottom of page