Como cuidar "com carinho" do couro da cadeira

Geralmente, materiais usados na fabricação de produtos industrializados tendem a degradarem com o passar dos anos. É a velha "entropia" da física, atuando no universo. Basta olharmos os carros, que perdem aquele brilho na pintura com o passar dos anos, aquela roupa que se deforma com o "passar das lavagens", ou aquele casaquinho (que nossa avó fez com tanto carinho) e hoje tem mais "bolinhas" do que casaco. Sem falar em nós mesmos, que substituímos a pela lisa, por manchas e rugas, ao decorrer da vida.


Porem, existe um material utilizado para revestir cadeiras, que foge desta regra. É o verdadeiro "Benjamin Button" do filme homônimo, e que (quando corretamente cuidado), fica melhor com o passar da idade.


Este material "mágico" é o couro natural.



Cadeira modelo presidente em couro natural
Cadeira Presidente Couro Natural
Sapato Antigo em Couro

As vezes amado, outras odiado, "cancelado" por alguns, reverenciado por outros, este polemico material, nos acompanha a mais de 7.000 anos.







Não tenho a intenção de defender, nem condenar o uso do couro. Acredito, que assim como no caso de móveis em madeira maciça, é nosso papel como ser ecológico, preservá-los da maneira correta. Se iremos continuar criando animais em série, para nos fornecer alimento e matéria prima, eu não sei. Mas o fato é que, se realmente queremos ser ecológicos, devemos cuidar bem dos produtos que já estão ai. Em especial esses, que podem permanecem por gerações. Afinal, nada mais eficiente para o uso racional dos recursos do planeta, do que fazer com que os bens duráveis, seja efetivamente duráveis, não é mesmo?


Afinal, enquanto o couro natural, pode durar uma vida inteira, a longevidade da sua versão sintética é muito menor. É comum que peças de poliuretano comecem a descascar em 2 anos ou menos de uso, independentemente dos cuidados. Por isso, embora seja uma escolha ideal para quem evita consumir produtos de origem animal, o couro sintético não apresenta a mesma durabilidade da sua versão natural.


Mas, discurso "ESG" à parte, vamos ao que interessa, que é de quais cuidados precisamos ter, com o couro natural.



Vamos começar com a limpeza.


Geralmente um simples pano úmido resolve. Porem, no caso de sujeiras mais persistentes, pode-se usar sabão neutro. Essa limpeza, deve ser feita da seguinte maneira:

Com um pulverizador, desses de jardim, ponha 200 ml de água e uma colher de chá de detergente neutro (pode ser o de lavar louça mesmo). Agite para misturar bem e pulverize o local, esfregando com uma esponja limpa (a parte amarela, mais macia).


Contudo, além da limpeza, para garantir que as peças de couro natural durem a vida inteira, é preciso aprender como hidratar o couro e também se atentar para o armazenamento correto. O que nos leva ao passo seguinte:





Após higienizar, utilize um pano seco para remover o excesso de água e então deixe a peça secar completamente em um local bem arejado.


LEMBRE-SE: O Couro respira!


Após essa "secagem natural", vamos para a hidratação propriamente dita.


Embora muitas pessoas recomendem produtos alternativos, para a etapa de hidratação, é possível encontrar facilmente diversos condicionadores para couro no mercado. Esses produtos, são especialmente formulados para manter as suas peças impecáveis por mais tempo.


Se, por outro lado, você prefere uma alternativa mais natural, invista em produtos à base de lanolina, de preferência sem fragrância.


Após higienizar e secar a peça, vá aplicando o hidratante por toda a extensão, com auxílio de uma esponja macia ou de um pano seco. Alguns condicionadores para couro já acompanham uma esponjinha própria. Após finalizar a aplicação, deixe o produto agir por alguns minutos e remova o excesso com um pano seco.



Dois pufffs revestidos com o mesmo material, sendo que um deles recebeu hidratação e outro não
Diferença entre uma peça hidratada e outra não


Novamente, espere secar e pronto. Simples, não é mesmo?


Agora, algumas dicas, para a conservação do couro.


Não guarde a peça de couro em saco plástico. A falta de ventilação pode ocasionar descoloração e mofo.

Se surgirem sinais de mofo, usar um pano úmido de algodão ou flanela para removê-lo. Depois deixar a peça na sombra e em local ventilado, até secar.


Todo couro tem um odor característico. Este odor pode, até mesmo nos ajudar para diferenciar o couro de suas imitações. Porém, para evitar que o odor fique muito intenso, é necessário colocá-lo para arejar com frequência. Nunca deixe guardado ou fechado por muito tempo.



Algumas curiosidades sobre o couro.


O couro é um produto natural, elegante e cheio de particularidades, as quais se devem desde a forma de vida que teve o animal até o seu abate.


Conforme pesquisa da ABQTIC, no Brasil, 60% dos defeitos dos couros têm origem no campo como:


Ectoparasitos (Berne, Carrapato, Bicheira) ................................40%

Marcação a fogo ............................................................................10%

Marcas de arame farpado, galhos, espinhos .............................10%


Esse tipo de defeito é inaceitável no caso de revestimentos para cadeiras e sofás. Porem outros como, marcas de "idade" do animal e pequenas diferenças de coloração, são até bem vindas, dependendo da "intenção" do design podem dar mais charme ao revestimento em couro.


Abaixo (por se tratarem de variações não usadas em mobiliário para escritório), acrescentei, apenas como curiosidade, outros tipos de couro, bem como os cuidados a serem tomados.



Diferentes cores e texturas de outros tipos não tão comuns de couro natural, geralmente não aplicados em mobiliário de escritório.
Diferentes tipos de couro natural


CUIDADOS ESPECIAIS NOS COUROS COM POUCO PIGMENTO E EFEITOS ESPECIAIS (Marlboro, Arizona, Camaleão, Cassi, Prince, Country, Squashed, Shinning, Texas)


Sempre que optar por estes revestimentos, deve-se tomar um cuidado maior, pois, além da beleza que oferecem, apresentam limitações que devem ser respeitadas como:


Evite molhar.

Em caso de manchas ou sujeiras NÃO passar pano úmido para removê-las. Para limpeza, deve-se procurar serviços profissionais especializados na área.

Evitar contato direto destes couros com peças brancas, visto que a transpiração do corpo poderá proporcionar a migração dos corantes do couro para o tecido.

Evitar contato direto com a pele, pois o couro poderá atrair para si a oleosidade natural do nosso corpo.


CUIDADOS ESPECIAS COM COUROS SEM ACABAMENTO, TOTALMENTE AO NATURAL ( Vegetal e Nobuk)


Estes couros pela natureza dos produtos são de grande desejo do consumidor, e sempre que se optar por estes artigos, deve-se tomar um cuidado maior, pois, além da beleza que oferecem, apresentam limitações que devem ser respeitadas como:


Evitar molhar.

Evitar a exposição solar.

Em caso de manchas ou sujeiras NÃO passar pano úmido para removê-las. Para limpeza, deve-se procurar serviços profissionais especializados na área.

Evitar contato direto destes couros com peças brancas, visto que a transpiração do corpo poderá proporcionar a migração dos corantes do couro para o tecido.


Evitar contato direto com a pele, pois o couro poderá atrair a oleosidade natural da mesma, deixando o couro com aspecto engraxado e consequentemente com uma tonalidade mais escura.


Polemicas à parte, como eu disse, o couro é um material que nos acompanhar há muitos anos, e se bem cuidados, pode continuar conosco por muitos mais.

Espero ter ajudado, e até o próximo post!